• Twitter Clean
  • Flickr Clean

BLOCO DA VELHA 2019

Homenagem a Cartola 

Verde que te quero rosa!
Rosa que te quero verde!


O Bloco da Velha homenageia o mestre Cartola.


Sambista pioneiro, referência na música popular brasileira, Cartola foi um dos fundadores da Estação Primeira de Mangueira. Nos “Tempos Idos”, com “Alegria” ajudou a consolidar as escolas de samba, e fez da Mangueira uma “Sala de Recepção”.


Gravado por Carmen Miranda e Francisco Alves, viu suas músicas no disco e no rádio, na Era de Ouro da música brasileira. 


Mas “O Mundo é um Moinho”, e os anos 50 levaram Cartola ao esquecimento. Trabalhando em uma lavagem de carros, talvez tenha vivido a “Catedral do Inferno”, vislumbrando o “Fim da Estrada”.


“Acontece” que seu lugar estava reservado, e com a ajuda de amigos chegou onde merecia. Com o empurrãozinho de Sérgio Porto e a força da companheira Dona Zica, voltou aos holofotes ao abrir o Zicartola, mítico ambiente de integração musical, reunindo Zé Ketti, Nelson Cavaquinho, Paulinho da Viola, Tom Jobim e Nara Leão.


Brilhou a “Alvorada” e Cartola voltou a tanger suas “Cordas de Aço”. Gravou seu primeiro disco solo aos 66 anos, e logo começou a abrir seu baú de preciosidades como  “As Rosas Não Falam”, “Tive Sim” e “Peito Vazio”. Chegou enfim ao “panteão dos grandes imortais”.


Sempre lembrado ao se falar em samba e carnaval, Cartola foi também o criador do nome “Estação Primeira” e de suas famosas cores verde e rosa, que o Bloco da Velha acolheu em sua homenagem.